Vacina contra hepatite A

 

 

Microscopia eletrônica do vírus da hepatite A

 

Os vírus da hepatite A são cultivados em fibroblastos humanos, a seguir são concentrados, purificados e inativados por formaldeído. Devem ser conservadas em geladeira entre +2 e +8º C, não devendo ser congeladas. São utilizadas três cepas virais, de acordo com o fabricante, a saber: HM175, CR326F e GBM. Todas, após inativação, são adsorvidas em hidróxido de alumínio. Nenhuma delas contém antibióticos como preservantes.

As doses preconizadas, para os indivíduos acima de 1 ou 2 anos de idade (depende do fabricante) são de 0,5 ml pela via intramuscular, com reforço 6 a 12 meses após a primeira dose. Para os pacientes com mais de 18 anos deve ser aplicada, em dose única, 1 (um) ml da vacina pela via intramuscular, com um reforço cerca de 6 a 12 meses após.

 

Esta vacina está indicada para todas as crianças acima de 1 ano de idade, para os viajantes de zonas endêmicas da doença, indivíduos que trabalham com o vírus em laboratório, militares, homossexuais, usuários de drogas e para os pacientes contaminados com o vírus da hepatite C. É uma vacina bastante eficaz, mantendo níveis de anticorpos por mais de 20 anos.

 

As reações adversas graves não têm sido relatadas. As mais comuns são dor local, rubor, enduração. Em menos de 5% dos casos observou-se febre, diarréia, vômitos e fadiga. A cefaléia foi observada em 16% dos adultos e em 9% das crianças. As vacinas com vírus vivos atenuados também estão disponíveis, porém encontram-se ainda em testes, uma vez que poderá haver reversão do vírus atenuado para a forma selvagem.

 

Clique nos endereços abaixo para conhecer a proposta de vacinação do Ministério da Saúde dentro do Programa Nacional de Imunizações.

 

Calendário básico de vacinação da criança

Calendário de vacinação do adolescente

Calendário de vacinação do adulto e do idoso